Transformação digital não é mais uma opção

Importante lembrar que não se trata de digitalização de documentos, tão pouco automatizações de processos, nem uma simples adoção de soluções em nuvem

13 de julho de 2021 18:18
por:

Rodolfo Fücher é presidente da Associação Brasileira das Empresas de Software - ABES, sócio fundador da FEMP Participações, membro do comi...

Em outubro de 2017, eu tive a oportunidade de fazer um curso na Columbia Business School, em Nova Iorque, sobre Estratégia Digital de Negócios, cujo responsável era, ou melhor ainda é, nada menos que o guru da transformação digital, professor David Rogers, autor de diversos livros sobre o tema. O curso foi sobre como a estratégia digital irá liderar a próxima geração de negócios. E o primeiro slide apresentado por Rogers dizia apenas: “Transformação digital não é sobre tecnologia”. Essa declaração certamente me levou para uma reflexão. Depois de uma carreira focada em tecnologia da informação, na minha cabeça transformação digital dependia exclusivamente da tecnologia, e não poderia ser diferente. No final, eu passei a concordar totalmente com ele. Isso me levou a rever meu entendimento sobre as revoluções digitais e suas implicações. Estou convencido de que a tecnologia é apenas uma ferramenta, um “enabler”.

Hoje, depois de quase 4 anos, em pleno período pandêmico, não poderia ficar mais claro o conceito do professor Rogers, tornou-se uma questão de sobrevivência. A transformação digital é uma mudança de paradigma, é uma revisão de conceitos, ou melhor, é uma mudança de cultura dentro da organização, uma infinita busca de formas inovadoras de fazer algo, melhor, mais eficiente, e mais barato de forma ágil. Porquê se você não o fizer, o seu concorrente o fará, ou uma startup que saiu do nada, que tão pouco viu chegar.  

Importante lembrar que não se trata de digitalização de documentos, tão pouco automatizações de processos, nem uma simples adoção de soluções em nuvem. Tem um escopo muito maior e mais amplo. Está diretamente ligado a novas formas de gestão. Se você ainda não foi obrigado a rever a maneira da sua organização tomar decisões, operar… e assim por diante, seu negócio provavelmente já está em risco. E nada disso é novo, especialistas já alertavam para essa necessidade de revisitar todos os conceitos há algum tempo. Um bom exemplo é o artigo do The Wall Street Journal de 2017, “Wall Street to CEOs: Disrupt Your Industry, or Else“, de Christopher Mims, sobre investidores e conselhos buscando líderes corporativos que se movam rapidamente para se defender de startups e fazer grandes apostas em tecnologias disruptivas; ou o livro “Digital Transformation Playbook“, do próprio David Rogers, que convida seus leitores a repensar os negócios para a era digital; ou “Hit Refresh“, de Satya Nadella. Este último é sobre a jornada de Satya para redescobrir a alma da Microsoft e como a empresa foi transformada desde que ele se tornou CEO – as ações passaram de USD 36,56 para USD 250.

Para entenderem melhor a amplitude da transformação digital, e seu impacto nos mais variados segmentos, vejam como uma pizzaria virou uma empresa de tecnologia: é o caso da Domino’s Pizza liderada por Patrick Doyle, Presidente & CEO. No caso da Domino’s, o preço das ações atingiu US$ 400, e valia menos de US$ 9 em 2010. “Somos tanto uma empresa de tecnologia como somos uma empresa de pizza” é uma das famosas citações de Patrick Doyle. Como inúmeros outros exemplos, aqui mesmo no Brasil: a XP que se considera uma empresa de tecnologia, e não uma financeira; ou a empresa de varejo, Magazine Luiza, que se transformou em uma das mais proeminentes empresas do segmento em plena crise.  

Muito provavelmente a Luiza Trajano ou o seu filho Frederico, devem ter visto a fala do Patrick Doyle durante a abertura da Cúpula de CEO, organizada por líderes empresariais do estado de Michigan, nos Estados Unidos, em 2016, há mais de 5 anos atrás. No qual, ele disse: “O fracasso é uma opção“. A palestra de Doyle foi intitulada “Como transformar uma empresa tradicional em uma máquina tecnológica, ágil e disruptora de seu segmento“. Preciso falar mais?

A transformação digital não é sobre tecnologia, mas deixou de ser uma opção. Tornou-se o antídoto para salvar empresas e negócios, principalmente durante este período pandêmico.

Publicidade

Desenvolvido por: Leonardo Nascimento & Giuliano Saito