Vestindo Tecnologia

Imagine saber quando seu corpo está emitindo os primeiros sinais de problemas vasculares, colesterol alto ou estresse. Um diagnóstico precoce e automático ajudaria a identificar como está a sua saúde e facilitaria a medicina preventiva.

30 de março de 2022 08:40
por:

Daniel dos Santos Leipnitz: Graduado em administração pela Universidade do Estado de Santa Catarina - ESAG, MBA em Administração Global p...

Imagine saber quando seu corpo está emitindo os primeiros sinais de problemas vasculares, colesterol alto ou estresse. Um diagnóstico precoce e automático ajudaria a identificar como está a sua saúde e facilitaria a medicina preventiva, criando a possibilidade de adequar seu estilo de vida conforme o necessário. Isso poderia evitar muitas das complicações médicas e salvar infinitas vidas. Seria maravilhoso e tenho certeza que falta pouco para conseguirmos chegar a esse nível tecnológico.

Já estamos construindo isso. As tecnologias vestíveis, ou, em inglês, wearables, estão se transformando em uma tendência do mercado. Elas consistem em dispositivos que você usa como roupas ou como acessórios e possuem sensores que monitoram seu corpo e mandam informação para um dispositivo móvel, como o celular.

As principais tecnologias desse tipo hoje em dia já ajudam a monitorar nossa saúde e desempenho físico durante as atividades esportivas, por exemplo. Elas controlam o batimento cardíaco, estresse, número de passos, quantidade de calorias gastas e qualidade de sono. Os pioneiros nesse segmento foram os relógios digitais, como o Apple Watch, capazes de trocar informações com seu corpo rapidamente. A vantagem de um dispositivo como esse, em relação a um celular, é que ele consegue monitorar constantemente e salvar um histórico, criando gráficos e análises sobre a saúde do usuário. Conheci recentemente, durante uma palestra sobre inovação, uma pessoa com diabetes que usa um dispositivo desses para medir sua saúde e tive o prazer de ouvir como a qualidade de vida daquele usuário melhorou só pelo fato de ter acesso, logo pela manhã, aos dados de como está seu organismo. Outro exemplo parecido são as pulseiras inteligentes, mais acessíveis que os relógios e exercem funções parecidas. Há anos que a vendas destes dispositivos ultrapassaram a de relógios.

O mercado está tão avançado que além dos eletrônicos, roupas também já estão sendo desenvolvidas. Há uma marca em Toronto que desenvolve peças inteligentes, que funcionam com uma pequena bateria e são capazes até de conectar sua temperatura corporal com os aquecedores da casa.

No futuro vejo essas tecnologias ajudando no diagnóstico precoce de muitas doenças e fazendo parte da rotina da medicina. Imagine, você chegar em um médico e ele ter acesso a um relatório inteligente do seu organismo, com análises que a inteligência artificial pode elaborar conforme os padrões específicos do seu corpo, ajudando a entender como ele reage com certos remédios e os melhores tratamentos para você. Será uma nova era na saúde, proporcionada pela tecnologia.

Publicidade

Desenvolvido por: Leonardo Nascimento & Giuliano Saito