Diversidade gera inovação

No Vale, maior polo tecnológico do mundo, 45% do capital intelectual é composto por estrangeiros.

30 de maio de 2022 08:31
por:

Daniel dos Santos Leipnitz: Graduado em administração pela Universidade do Estado de Santa Catarina - ESAG, MBA em Administração Global p...

Pexels

Você sabe o que os ecossistemas de inovação do Vale do Silício, Boston, Austin e Florianópolis têm em comum? Todos eles contam com um grande número de pessoas que vieram de outras regiões (do mesmo país ou não) para estudar, trabalhar e empreender. No Vale, maior polo tecnológico do mundo, 45% do capital intelectual é composto por estrangeiros.

A atração de profissionais de outras regiões é fundamental para a construção e consolidação de um ecossistema de inovação. Primeiro, porque é muito difícil preencher todas as vagas que o setor tecnológico demanda. É que as empresas de tecnologia não param de crescer, mesmo em momentos econômicos desfavoráveis, por estarem ajudando companhias de outros ramos a produzir mais e a economizar. Se você conversar com a maioria dos empreendedores de Florianópolis, ouvirá que suas empresas têm oportunidades abertas, talvez já há algum tempo. E as nossas universidades não formam o  número suficiente de pessoas para preencher essas vagas.

Outro fator importante é a diversidade: não só de gênero e raça, mas também de diferentes culturas. Afinal, como construir um ambiente inovador se todos pensarem da mesma forma, com os mesmos valores e cultura? A criatividade depende de olhares diferentes que nos façam repensar nossas próprias ideias e assim surge a inovação.Ter colaboradores e empreendedores de outras cidades, estados e países por perto amplia nossa visão de mundo e faz com que a tecnologia que a gente produz aqui tenha mais capacidade de alcançar o que populações diversas buscam e precisam.

No processo de internacionalização, pelo qual várias das nossas empresas estão passando, a contratação de estrangeiros é muito importante para entender o mercado dos países nos quais elas estão mirando, além de otimizar o processo de tradução e adaptação dos sistemas para outras línguas.

Mais do que preencher vagas, auxiliar na exportação das nossas tecnologias e trazer diversidade, este capital humano diverso nos leva à tolerância. Para ter uma noção, Austin – capital do Texas e grande polo de tecnologia – tem como slogan a frase “keep Austin weird”, que numa tradução literal significa “mantenha Austin estranha”. O adjetivo da frase destacada tem como definição “o que tem caráter extraordinário, excêntrico”, ou mesmo “tudo o que é de fora, estrangeiro”. Cidades com esse nível de tolerância são mais fortes, mais empreendedoras e com uma qualidade de vida sem igual.

Vamos ver o novo também em cidades como Florianópolis como algo bom e necessário, e assim contribuir para a consolidação do promissor ecossistema de inovação.

Publicidade

Desenvolvido por: Leonardo Nascimento & Giuliano Saito