Visa intensifica seus esforços no espaço cripto com novos parceiros e casos de uso

Com vários programas de cartões vinculados a criptomoedas na América Latina e Caribe e serviços de valor agregado operando localmente, a Visa define o tom quando o assunto é trazer mais acesso e valor ao ecossistema cripto na região.

23 de junho de 2022 14:47

Com o interesse do consumidor e a adoção das moedas digitais crescendo globalmente, a Visa anunciou hoje que seus esforços no espaço de criptomoedas na América Latina e no Caribe (LAC) vêm avançando substancialmente com as novas parcerias baseadas em cartão e outras iniciativas que oferecem oportunidades para empresas, governos e consumidores acessarem o futuro do dinheiro digital.
“À medida que mais pessoas e empresas da região vão adotando a inovação cripto, nós da Visa estamos empenhados em ser um parceiro-chave, trazendo a conectividade, a escala, a segurança e as propostas de valor necessárias para que as ofertas cripto cresçam e sejam amplamente aceitas”, disse Romina Seltzer, vice-presidente sênior de Produtos e Inovação da Visa América Latina e Caribe. “O ecossistema cripto continua ganhando força na região com o aumento dos investimentos, da adoção por parte dos consumidores e dos casos de uso habilitados para cripto, e continuaremos capitalizando nossa forte estratégia para construir o futuro das criptomoedas e dos pagamentos para nossos clientes, parceiros e consumidores.”

 

O objetivo da Visa é agregar valor a todas as formas legítimas de movimento de dinheiro, originadas dentro e fora da rede da Visa. Isso é fundamental para nossa estratégia de rede de redes, e nosso trabalho no espaço cripto é um ótimo exemplo disso. Atualmente, o foco da empresa é fazer da Visa a maneira mais fácil e segura de comprar e/ou usar criptomoedas por meio de um cartão Visa. Isso inclui programas de cartão baseados em criptomoeda lançados recentemente e parcerias com fintechs e startups que atuam com exchange de cripto na região, como o cartão pré-pago Visa Lemon Cash na Argentina, a parceria com a plataforma Satoshi Tango e os cartões Crypto.com, Alterbank e Zro Bank no Brasil.
“Nossa missão na Crypto.com é ter criptomoedas em todas as carteiras digitais e estamos fazendo avanços incríveis nessa visão na América Latina à medida que expandimos nossa presença neste importante mercado”, disse Filomena Ruffa, gerente geral da Crypto.com para a América Latina. “Por meio de nossos produtos localizados e da expansão de nosso programa de cartão com benefícios de cashback de até 5%, estamos disponibilizando diferentes opções para os consumidores e empresas da região se engajarem e fazerem transações com criptomoedas.”
Com credenciais vinculadas a criptomoedas, os consumidores que convertem criptomoedas podem fazer compras em moeda fiduciária local em qualquer lugar que aceite Visa, comprar criptoativos com suas credenciais e receber de volta parte do valor gasto (cashback) em Bitcoin ou outras moedas digitais.

 

“No contexto da América Latina, as criptomoedas são uma solução concreta para melhorar a vida das pessoas. Na Lemon, queremos contribuir para a revolução das criptomoedas em toda a região e, para isso, oferecemos cashback de 2% em Bitcoin para todas as compras pagas com credenciais Visa”, disse Borja Martel Seward, cofundador da Lemon.

 

Com esses e outros projetos de emissão de cartão em andamento no Brasil, Argentina, México, Colômbia, Peru e outros mercados, a Visa está apoiando o ecossistema cripto de várias maneiras. Além de soluções baseadas em cartão, a Visa oferece recursos de infraestrutura, serviços de consultoria e ferramentas para as pessoas transitarem com mais facilidade no mundo das moedas digitais e na emergente economia NFT.

 

Crescimento em escala de criptomoedas

A Visa aumentou significativamente a escala e o escopo de seu trabalho com moedas digitais associando-se a mais de 70 das principais plataformas de criptomoedas do mundo. Esses parceiros escolheram a Visa para lançar programas de cartão e permitir que seus clientes convertam e gastem moedas digitais facilmente em 80 milhões de estabelecimentos comerciais em todo o mundo.

Além de incorporar credenciais em carteiras digitais e trabalhar com plataformas de criptomoedas, a Visa continua inovando nesse espaço por meio de várias iniciativas globais e regionais, entre as quais:

  • Apoio na liquidação de stablecoins: hoje, fazemos transações em cerca de 160 moedas, liquidamos em 28 moedas, e queremos adicionar stablecoins lastreadas por moeda fiduciária às demais moedas de liquidação em nossa rede. No momento, estamos trabalhando com parceiros e nos concentrando primeiro na USDC. Esse é outro marco importante em nosso esforço de criar uma ponte entre as moedas tradicionais e as digitais.
  • Serviços de consultoria e inovação: a Visa está atuando para que seus clientes consigam entender as tendências em criptomoedas, desenvolver uma estratégia cripto compatível com suas necessidades e objetivos empresariais e pesquisar, desenhar e testar novas experiências de uso e produtos cripto.
  • Moeda Digital emitida por um banco central (CBDC): além disso, a Visa está colaborando com os bancos centrais para identificar casos de uso atraentes para moedas digitais emitidas por um banco central (CBDCs) e transformá-las em realidade usando tecnologias seguras, convenientes e confiáveis ​​que se integrem perfeitamente ao ecossistema de pagamentos existente. Recentemente, a Visa foi uma das nove finalistas do LIFT Challenge Real Digital, no Brasil. Nos próximos meses, a Visa trabalhará em estreita parceria com o Banco Central do Brasil voltada a assessoria e orientação para esta parceria público-privada, na qual pesquisadores e engenheiros da Visa unirão forças para desenhar um protótipo funcional para a apresentação de uma proposta de solução Visa para o desafio.
  • Novo Programa para Criadores de NFT: esta nova iniciativa busca ajudar artistas, músicos, designers de moda e cineastas que trabalham principalmente com mídia digital a impulsionar seu pequeno negócio usando NFTs, sigla em inglês para tokens não fungíveis. O programa tem duração de um ano e cada um de seus ciclos apoiará um grupo selecionado de microempresários interessados em aprofundar seus conhecimentos acerca da tecnologia e das plataformas que respaldam o comércio de NFTs.

A Visa também está realizando pesquisas sobre as percepções do consumidor e seu uso de criptomoedas à medida que a adoção de moedas digitais vai ganhando força. De fato, o último estudo da Visa, “O fenômeno cripto: atitudes e usos do consumidor“, constatou que existe um “conhecimento quase universal” acerca das criptomoedas, com um terço dos entrevistados usando ativos digitais “como ferramenta de investimento ou como meio de troca”. O estudo constatou ainda que o engajamento é maior nos mercados emergentes e revelou que quase 40% dos proprietários de criptomoedas provavelmente trocariam seu principal banco por um que oferecesse produtos cripto¹.

 

“Queremos nos tornar uma ponte que conecta as empresas tradicionais ao futuro do dinheiro e estamos comprometidos a ser líderes em pagamentos baseados em moeda digital e a ajudar os clientes e as instituições financeiras da região, sejam eles existentes ou novos, a aproveitarem essas oportunidades significativas, beneficiando-se e navegando melhor pelas mudanças revolucionárias que estão ocorrendo no setor de pagamentos”, acrescentou Seltzer.

Publicidade

Desenvolvido por: Leonardo Nascimento & Giuliano Saito