Saiba quais serão as tendências em tecnologia para o próximo ano

Especialista da Claranet elenca cinco soluções que deverão movimentar o mercado em 2022

25 de novembro de 2021 08:05

O mercado de tecnologia promete grandes mudanças para o próximo ano, seja em serviços para o consumidor final ou mesmo em produtos e soluções para empresas que desejarem acompanhar o processo de digitalização. Apenas para o segmento de T.I, a previsão da International Data Corporation (IDC) era de crescimento de 11% este ano, sendo o setor impulsionado pela massificação do 5G, modernização de sistemas, adesão à Cloud Computing, dentre outros. Para 2022, contudo, a expectativa é que cibersegurança e soluções correlacionadas continuem entre as prioridades.

Os ataques cibernéticos com a utilização de ransomware, o malware que bloqueia sistemas e sequestra dados de empresas, ultrapassaram a marca registrada no 1º semestre do ano passado frente a este ano. Segundo pesquisa da Roland Berger, foram mais de 9 milhões de ataques deste tipo, colocando o Brasil na quinta posição mundial em número de ataques hackers contra empresas.

Para Diogo Barroso Santos, CTO da Claranet, multinacional de tecnologia, algumas soluções já existentes hoje, como tecnologias em cibersegurança, continuarão no topo das atenções para os próximos anos devido ao processo de digitalização e avanços que vêm ocorrendo na área de T.I.

“É inevitável não considerarmos a pandemia e como fomos levados a utilizar a tecnologia para ações básicas do dia a dia. O comportamento humano foi transformado e a tendência é que sigamos introduzindo cada vez mais as soluções tecnológicas em nossos processos pessoais e profissionais”, afirma o executivo.

Para elucidar melhor as tendências para o próximo ano, o especialista da Claranet elencou cinco tecnologias que serão massificadas. Confira abaixo.

Cibersegurança

A maior tendência será a segurança de dados. Estamos na era pós digital, onde tudo está acessível pela internet, mesmo quando os dados e aplicações são de acesso restrito aos colaboradores. A liberdade de trabalhar remotamente, de qualquer lugar, trouxe vantagens, pois flexibilizou e, em alguns casos, aumentou a produtividade e satisfação no trabalho, mas por outro lado abriu espaço para mais vulnerabilidades que precisam ser levadas a sério. Os riscos de uma empresa ser prejudicado e ficar inoperante é alto, além de haver chances de ocorrer vazamento de dados, perda de lucro e credibilidade da marca no mercado.

Hiper automatização

Este é um processo que traz redução de custos e evita erros humanos nas empresas. É comum, no âmbito da tecnologia, ouvir falar sobre DevOps e SecDevOps, mas a maioria não imagina que esta cultura pode automatizar quase tudo dentro de uma empresa. Podemos achar que DevOps se resume à IaC, (Infra as a Code), mas ter uma cultura de automação é muito mais abrangente, envolve uma quebra de paradigmas e mudança de mindset, ao mudar também a forma como fazemos as coisas e não simplesmente robotizar os processos (RPA).

Data Driven

O Data Driven, quando a empresa baseia a tomada de decisão e o planejamento estratégico na coleta e na análise de informações, tende a aumentar ainda mais. Com o aumento do IoB (Internet of Behavior), saber o que está acontecendo real-time é crucial não só para vender mais, como também ter parâmetros sobre a percepção dos clientes de uma organização.

IA (Inteligência Artificial) e ML (Machine Learning)

Mais uma tendência que vem junto com automação e Cibersegurança é IA e ML. Não há como se falar em automação e Cyber sem pensar nesses dois agentes de transformação, sem eles não teríamos como ser cada vez mais efetivos no aprendizado e análise de comportamentos.

Publicidade

Desenvolvido por: Leonardo Nascimento & Giuliano Saito