PIX ganha novo fôlego nas vendas de final de ano do e-commerce

Modalidade deve impulsionar negócios na Black Friday e ampliar sua representatividade entre meios eletrônicos de pagamento

24 de novembro de 2021 08:55

O mercado aposta suas fichas em um grande aliado para as compras na Black Friday e de Natal: o PIX. Sua representatividade entre os pagamentos por meios eletrônicos no comércio brasileiro – online e físico -, que já atingiu 2,7% no terceiro trimestre do ano, ou a melhor performance da modalidade em 2021, deve subir ainda mais no quarto trimestre e chegar a 3,3%.

A estimativa é da Gmattos, consultoria focada em e-commerce e meios de pagamento que há mais de 15 anos identifica tendências na agenda dos pagamentos online no Brasil.

Segundo cálculos da empresa, no terceiro trimestre de 2021, os pagamentos com PIX em lojas comerciais com perfil de aceitação de meios eletrônicos de pagamento (cartões) representaram 2,7% do total de pagamentos com cartões (crédito, débito e pré-pagos) divulgados pela ABECS (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços). No segundo trimestre, essa representatividade do PIX era de 2,16%, e no primeiro trimestre do ano, de 1,16%, devendo atingir 3,3% no quarto trimestre.

Ao longo deste ano, por sinal, o PIX vem sendo cada vez mais aceito entre os maiores lojistas do e-commerce brasileiro, como mostra o Estudo Gmattos de Pagamentos, levantamento bimestral realizado pela Gmattos.

Além de apontar uma aceitação recorde do PIX na história do e-commerce brasileiro – 59,3% das maiores lojas online do país trabalham com esse meio -, a edição de novembro do estudo mostra que tem crescido também o número de lojas que oferecem algum diferencial para pagamentos com essa modalidade. Entre as vantagens para os consumidores que usam PIX, a pesquisa identificou frete grátis e descontos.

Na comparação entre as edições de setembro e de novembro do Estudo Gmattos de Pagamentos, a aceitação do PIX pelo comércio eletrônico no Brasil saltou 8,5 pontos percentuais, passando de 50,8% para 59,3%.

PIX em alta na Black Friday

Essa alta deve se refletir na Black Friday. Embora, na projeção da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), as vendas do comércio em geral devam recuar pela primeira vez na data nos últimos cinco anos, no comércio eletrônico no país a expectativa é positiva. De acordo com a camara-e.net (Câmara Brasileira da Economia Digital), as vendas no e-commerce brasileiro na Black Friday deste ano devem ser 18% maiores que as verificadas na de 2020, o que representa um crescimento real em valores monetários por ser mais elevado que a inflação do período. Um dos fatores que impulsionam esse aumento é o uso do PIX.

Na análise de Gastão Mattos, cofundador e CEO da Gmattos, em ocasiões como a Black Friday, o PIX é mais vantajoso para o lojista em relação a meios de pagamento como o boleto.

“O pagamento via boleto gera potencial transtorno para a loja em datas promocionais, bloqueando a venda de um item em estoque”, afirma o especialista. “A confirmação do pagamento pode demorar de 2 a 3 dias úteis e, em caso de desistência, o que acontece, em média, em 50% dos casos, impedir a venda para outro cliente no período de propensão ao consumo”, explica.

O PIX é vantajoso para o lojista por disponibilizar imediatamente em conta o valor da transação. Além disso, sua taxa de conversão, entre 60% e 90%, é maior que a de outros tipos de pagamento com liquidação à vista ou praticamente à vista (débito e boleto). Transações com PIX podem representar de 2 a 3 vezes mais faturamento para a loja do que com o uso dos cartões de débito.

Publicidade

Desenvolvido por: Leonardo Nascimento & Giuliano Saito