Games podem ser aliados nos processos de aprendizagem

Startup brasileira cria jogos com base nos desafios das salas de aula.

24 de junho de 2022 14:11

Se as crianças e adolescentes gostam tanto de jogos para se divertir, por que não levar isso para a sala de aula, como uma maneira de fazer com que os games sejam aliados nos processos de aprendizagem? Muitos são os desafios na educação e atualizações tecnológicas como essa são cada vez mais fundamentais. A gamificação já é uma das principais tendências, uma iniciativa que visa tornar o aprendizado mais leve, atual, dinâmico e divertido, segundo especialistas no assunto.
“A educação nunca mais vai ser a mesma, terão alguns componentes que farão parte da educação do futuro, como o ensino híbrido e o uso de jogos educativos”, comenta Gilberto Barroso, cofundador da startup De Criança Para Criança (DCPC), plataforma digital educacional que já produziu mais de 1000 animações a partir do protagonismo infantil dentro das salas de aula.
A aprendizagem colaborativa também é uma das projeções para a educação, demonstrando a importância do aluno ter autonomia e participar ativamente do processo educacional, fazendo uma imersão no conteúdo estudado. “Nós temos vários materiais para ensinar as crianças, dentre eles os Jogos Criativos Curriculares, uma ferramenta para auxiliar os professores e engajar os alunos”, explica Barroso.
O método utilizado pelo DCPC, voltado para a Educação Infantil e Fundamental I e II, coloca a criança no centro da aprendizagem e da criatividade, fazendo com que as disciplinas sejam transformadas em jogos e os professores sejam os mediadores desse processo. “O professor e os estudantes podem criar jogos com base em alguma matéria. E aí vão desenhar os componentes desse game, o professor vai passar um briefing para a nossa equipe e nós vamos desenvolver um jogo baseado na mecânica e na lógica do ensinamento, com os desenhos e as vozes, se tiver, daquela turma”, completa Vitor Azambuja, sócio de Barroso.
Com a mentoria de professores e alinhados à Base Nacional Comum Curricular (BNCC), o DCPC já criou alguns jogos didáticos de como aprender a ver as horas (Que horas são?), como relacionar números e quantidades (Hora do Lanche), além de games de classificação de objetos e figuras (A fonte de doces) e alfabetização (Jogo das Vogais), disponíveis gratuitamente neste link. “A ideia vem do aluno, com mentoria do professor. A criança estará construindo, ensinando e participando, não só de um jogo, mas da construção do conhecimento. Isso traz um orgulho de “eu que fiz”, uma sensação de pertencimento”, destaca Azambuja.
Apesar de todas as distrações e desafios do momento, os jogos na educação estimulam a tomada de decisões rápidas, aumentam a percepção e desenvolvem a capacidade de calcular e gerenciar riscos, fortalecendo todo o processo de aprendizagem. “Qual o valor disso para a educação? É uma maneira de personalizar o ensino, afinal de contas cada aluno tem uma particularidade, cada um aprende de um jeito e em uma velocidade”, finaliza Barroso.

 

Serviço

Jogos Criativos Curriculares DCPC

Disponíveis gratuitamente no link

Publicidade

Desenvolvido por: Leonardo Nascimento & Giuliano Saito